Open/Close Menu Experiências e descobertas sobre a comida, a culinária e o comer

Em circunstâncias que eu não imaginaria antes, estava eu, lá no Kinoshita, em pleno almoço.
Em questões de experiência em restaurantes de alta gastronomia no almoço, confesso que foi a primeira vez que senti uma diferença de ambiente: claramente lia-se executivos, japoneses, estrangeiros e público residente na região. Com turnos bastante pontuais no que se refere ao almoço.
Sentei-me no balcão e o almoço executivo começava seu desfile. E foi então que descobri o que é sabor, textura, delicadeza e técnica. Não só no belíssimo sashimi de atum com flor de sal, não somente no molho do meu frango, mas até mesmo no arroz. NO ARROZ? É… aparentemente eu não presto atenção sempre no que estou comendo…. Foi um show de descobrimentos sensoriais! E sim, interessantemente, por serem uma sequência de pratos, a diversão foi experimentar tudo sem pressa.
Claro, que tudo isso anda em conjunto com a delícia da claridade do dia, do atendimento educado de todos, da mini-conversa curiosa no balcão frio, da companhia, da seleção das louças que compunham visualmente o ritual de comer. Sério, olhem aquele maguro toro (simplificando: a barriga do atum) em contraste com a cor turquesa e o gengibre. E a sobremesa? Exatamente como eu imaginava: um doce suficiente para terminar uma refeição, com toda a filosofia que a alimentação japonesa tem: sutileza, frescor, sazonalidade. Fica a dica, o cardápio mudou e as sobremesas prometem muito para early adopters!
Tirando a experiência do comer, a de chegar é bastante complexa: as ruas da região estão sempre com muitos carros… Claro que sempre tem a versão valet das coisas então… fica a seu critério!
Fora isso, a arquitetura do espaço é interessante no fato de que ela ao mesmo tempo esconde e revela partes do restaurante. De noite, o clima muda e cria a ideia de espaços amplos entre as mesas.
Definitivamente, se você quer um jantar de alta gastronomia nipônica, daqueles à altura: vá ao Kinoshita! E pensar que eu sempre gostei de falar que não gostava da comida fria… mas acho que era por falta de conhecimento e experimentação! E começa a jornada para conhecer outros restaurantes japoneses nessa área! ehehehe Aceitando sugestões e companhias!
#update
Definitivamente o pudim com quiabo e o sweet hiyayako foram algo de surpreender! Eu comi e achei que a mistura de texturas foi excelente!
Rua Jacques Félix, 405 – Vila Nova Conceição
seg – sex: 12h – 15h / 19h – 0h
sáb: 12h – 16h / 19h – 0h

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2015 DIM SUM CAFÉ . Todos os direitos reservados.