Open/Close Menu Experiências e descobertas sobre a comida, a culinária e o comer

Hong Kong.

Tantas inovações e tradições coexistem nesse pedaço do mundo, que chega a ser um turbilhão de informações! De um lado você vê todo o lado tecnológico em construções, skylines, arranha-céus e luzes. Do outro, reformas feitas com bambu, farmácias com tudo aquilo que você encontraria em um caldeirão de bruxa e as famosas feirinhas de rua que são a perdição de qualquer turista doido para gastar todas as pilhas. Eram tantas expectativas… mas a principal de todas era a comida, claro!

A sensação é de que não dá tempo o suficiente para comer tudo o que você quer. E são inúmeras coisas. Um trilhão de lugares salvos no Google Maps, mas apenas umas 5 refeições por dia e muuuuuuita andança. A maioria das coisas que comemos loucamente estavam em Kowloon, mas nada quem um metrô lindo não resolva caso você esteja longe. Mesmo que você esteja em Hong Kong Island.

Mas achei que valia deixar para os leitores viajantes um gostinho do que tem lá! E caso você esteja a caminho de Hong Kong e não sabe onde comer, fica aqui minhas sugestões (claro que se alguém quiser me financiar para ir junto não vou reclamar né? eheheh)

Mak Man Kee

Mak Man Kee – Parkes Street, 51 – Yaumatei, Hong Kong – China

Este foi o primeiro restaurante que entramos. Já vimos uma fila básica para entrar…

Descrição do lugar? Como quase tudo em Hong Kong, o lugar não era grande, o espaço entre as mesas era menor ainda. Rotatividade de pessoas? Super alta. E por que? Na porta você já consegue ver a especialidade da casa sendo feita: wan tan min ou wonton noodles como os gringos gostam de chamar.

Wan tan min nada mais é do que um delicioso e elástico macarrão com uma sopa extremamente saborosa com wan tans (wontons) recheados de camarões suculentos e com a textura secreta da cozinha chinesa: os camarões ao serem mordidos parece que explodem na sua boca pois a o exterior está mais rígido e o recheio muito macio. A nossa grande perdição foi o wan tan min. Quer saber por que? Esse macarrão não existe aqui em terras brazucas (Sim, a vontade de importar um contêiner foi grande)!

As porções parecem bem pequenas né? Mas o tamanho dos wan tans compensam e você não tem que se empanturrar… assim sobra mais espaço para sair experimentando todo o parque de diversões alimentícios que é Hong Kong!

Mak’s Noodle

Mak’s Noodle – Wellington Street, 71 – Central, Hong Kong/China

Outra casa especializada em wan tan min! Desta vez, estávamos em um dia chuvoso em Hong Kong Island com fome e querendo um lugar sequinho pra sentar! No mesmo esquema que o Mak Man Kee, você via os cozinheiros na entrada trabalhando com os macarrões, como se fosse uma vitrine virada para a rua.

Aqui, o lugar era mais arrumadinho, com louças bonitas e marca à vista em quase todo o lugar! O macarrão? Ahnnn também uma delícia! A gente sempre se pegava achando que a tigela aqui na China é muito menor que no Brasil, mas a porção realmente é ideal! Acompanhado de um brócolis chinês (gailan) e um chá pu’er… eram refeições perfeitas!

Lugar bem apresentado e gostoso se você está com receio de entrar nesses restaurantes “de rua”. E o mais legal! Se você vier no verão… aqui tem ar condicionado! uhuuu!

BreadTalk

Fonte: site Bread Talk (eu não tirei nenhuma foto do espaço.. hehehe)

Uma das coisas que mais me surpreendeu foi encontrar uma generosa quantidade de lojas que vendem panificados! Sim! Você pode muito bem começar seu dia com um pão que tem óbvia referência francesa! Claro que os recheios já passam pelo paladar dos asiáticos… Mas não tem nada mais feliz para nós brasileiros do que encontrar pão no meio da Ásia.

A gente se divertia mesmo eram com os pães que tinham pork floss. Mas comemos também coisas com pandan (um tipo de baunilha popular na Malásia, Indonésia etc com cor esverdeada!) e até o que eu acho que seria uma versão de pão de queijo.

Minha suspeita é de que os pães chineses estão seguindo bastante a linha dos japoneses: misturam ingredientes da cultura às técnicas francesas. Nada mal… tô gostando de ver!

Lee Keung Kee North Point Egg Waffles

Lee Keung Kee North Point Egg Waffles – Nathan Road, 178 – Tsim Sha Tsui, Hong Kong – China

Não se engane pelo visual. Apesar de bastante estranho (bastaaaaante estranho), isso é o que eu poderia chamar de comida de rua hehehe.. Um buraco onde uma moça cobra e a outra faz as maravilhas acontecerem. Além de Egg Waffles, a banquinha oferecia outros bocaditos, mas o negócio que os fez famosos mesmo são os egg waffles.

Na verdade, apesar de serem super tendência na gringa hoje em dia, os Egg Waffles existem desde 1950. Antes eles eram preparados em brasa com carvão, o que dava um sabor defumado.

Veredito? Delícia! O exterior crocante e a parte da “bolha” super macia. Como eu acompanhei esse doce durante meses na internet, na hora de experimentar a expectativa era gigante. Sabe o que fiquei triste? Não encontrei uma versão com sorvete, só os egg waffles puros! Mas que era lanches perfeitos para o café da tarde ou a sobremesa antes de ir pro hotel… ahn isso era!

Modos

Modos – 174 Fa Yuen Street – Mongkok, Hong Kong – China

Mais uma banquinha de rua, mas com egg waffles de vários sabores e recheios. A gente ficou muito em dúvida do que comer… Mas admito que na hora que chega esse Egg Waffle quentinho com chocolate e laranja na mão… Não teve como resistir. E eu que quase recusei comer isso porque já tinha me entupido de comida no almoço? Ainda bem que o cheiro me convenceu o contrário.

Ding Tai Fung

Din Tai Fung – Shopping Miraplace – 132 Nathan Rd, Tsim Sha Tsui, Hong Kong/China

Enrolei… enrolei… enrolei pra ir! Tivemos a oportunidade de conhecer em Beijing e Shanghai mas queríamos vir para a terra dos dim sum para comer.
Pois bem! Se você nunca comeu dim sum na vida, comece por aqui!  É um restaurante estrelado, com 1 estrela Michelin recebido por sua unidade em Taiwan. Ambiente muito claro, funcionários vestidos impecavelmente, muitas pessoas na mesa, mas a mesma rotatividade alta das mesas que encontrei nos outros restaurantes de Hong Kong. E gringos… muitos gringos!

Os pratos são apresentados em louças brilhantes de limpas, tudo bem organizadinho. Porém achamos um pouco caro. Talvez porque ele tem um status mais internacional, comida boa, serviço adequadíssimo, cardápio abrangente e bem executado, ambiente limpo e confortável. E isso tudo pesa na conta, é claro!

O cardápio é super fácil de usar, então conseguimos pedir um monte de coisas! Inclusive o nosso querido xiao long bao. Mas depois de anos almoçando na Liberdade e se empanturrando em outros restaurantes locais em Hong Kong, a impressão que fica é que o Din Tai Fung é mais caro pois tem outras conveniências para não-falantes da língua. Além de ter um ambiente que não assusta as pessoas, diferente dos restaurantes menores que visitamos.

Vale a visita para a “porta de entrada” do dim sum – especialmente se você nunca comeu esse tipo de comida.

London Restaurant

London Restaurant – Good Hope Building – 612 – 618 Nathan Road, Mong Kok – Hong Kong/China

Bem. Aí você vai em um restaurante de dim sum roots e depara com essa imagem aí em cima.

Sabe o mais interessante daqui? Tem 3 formas de fazer pedido:

1- Você espera os carrinhos virem cheios de potinhos de gostosuras, pega o que achar bom e a moça anota na sua ficha

2- Você sabe o que quer, vai até a cozinha e fica lá esperando sair sua cestinha de felicidades (e elas saem muito rápido e em grandes quantidades)

3- Você não fala nem cantonês e nem mandarim. Manda bem no inglês e fica extra feliz quando vê que o cardápio também está escrito em inglês!

Agora o que você não sabe: se você pediu na mesa e falou em inglês, eles vão te cobrar mais caro. Yup, alguém vai sempre ganhar dinheiro em cima do turista. Sorte que a família fala cantonês e pudemos experimentar todas essas maravilhas abaixo.

Dois extras (e zoom nos pratos)

Isso aqui é um baozi ou bun recheado de ovo doce! Delicioso!

Essa é uma sobremesa que não conhecíamos: um pudim de ovo dentro do coco. Um troca sabor com o outro e comer os dois fica uma experiência incrível! Para quem acha que chineses não sabem comer doces….

Australia Dairy Company

Australia Dairy Company – Parkes Street, 47 – Kowloon, Hong Kong/China

Depois de uma lida rápida no tripadvisor e em outros lugares de viagem já sabíamos que o Australia Dairy Company não era um lugar para esperar a vida passar. Aqui tudo é servido rápido e espera-se que você coma rápido também. Tinha ligo que no café da manhã essa vibe é muito mais forte, então nada melhor do que ir em outro período!

Comemos finalmente o tofufa ou doufuhua ! A parte legal é que aqui eles estão fazendo esse “doce” com leite, novidade ocidental. O doce que foi inventado em meados da dinastia Han, ficou super popular nos anos 50 como comida de rua. Nada mais é do que um pudim sedoso e delicado feito de tofu. Quando feito com leite não chega a ser um pudim ocidental, mas adquire uma doçura e textura um tiquinho diferentes.

Hing Kee Claypot

Hing Kee – Temple Street, 19 – Yaumatei – Hong Kong/China

Esse restaurante apareceu no radar depois que eu comprei um livro (que eu amei amei amei) andando por aí em Kowloon. Depois de folhear algumas (milhares) de vezes, identificamos o restaurante e o tipo de comida que queríamos: claypot. Na primeira olhada, você vai se lembrar de um domburi japonês: um bowl com arroz e carnes de boi, porco ou peixe com molho de soja. Porém, ele tem alguns diferenciais… ele feito em um claypot, ou seja, uma tigela de barro com um arame onde o arroz depois de cozido começa a ficar crocante no fundo. Ele endurece e fica colado no bowl. Aí você pode jogar um molho, chá ou caldo para amolecer e continuar comendo! O arame serve para distribuir igualitariamente o calor na tigela de barro.

Bem, a referência que eu tinha é de um claypot experimentado na gringa anos e anos atrás. Era tão comfort food… E esse… nem foi tão bom quanto o da gringa! Pode isso? Mas ele estava gostoso sim! Talvez o ponto é que ele é extremamente tradicional, ainda usa o fogão com carvão (há quase 30 anos). E as coisas tradicionais daqui (os aclamados por mídias especializadas e livros) me pareceram ter guardado a história, mas não desenvolveram em sabor como os concorrentes locais. Bem, coisas a se pensar, vale conhecer também!

Sabe quais são as boas notícias? Esse tipo de comida tem aqui em SP!

Toastbox

Toastbox – Parkes Street 47, Tsim Sha Tsui – Hong Kong/China

Foto: Wikipedia

Acabei nem tirando foto do lugar… Mas devo admitir que depois de um dia cheio de chuva e andanças mil… Esse lugar que fica do lado do Breadtalk salvou nossas vidas! Ok, talvez não tenha sido tão dramático assim… Mas chegar em um lugar onde o chá vinha cortesia, o prato era enorme e tinha Frango de Hainan misturado com porco, com uma sopinha foi ter recebido um abraço pelo estômago e um carinho.

Lugar que lembra um restaurante de shopping, mas muito tranquilo e com comida gostosa e bacaninha! vale a pena super!

Extra: Macau

Wong Chi Kei

Wong Chi Kei-  Largo do Senado 17 – Macau/China

Fizemos um bate-volta em Macau e acabamos chegando lá pela hora do almoço. Assim que descemos do ônibus, já no Largo do Senado, avistamos o destino: Wong Chi Kei. Teve uma espera básica sim… e fomos nos sentar lá no andar debaixo em uma salinha que tinha mais 4 mesas além da nossa.

Viemos pelo famoso macarrão de ovos com ovas de camarão! Sabor e textura incríveis! A história do macarrão daqui remete à uma técnica cantonesa de “bamboo-pole noodle making” ou seja, um cara mistura os ingredientes da massa e a sova através de um tubo de bambu. O interessante é que para fazer esse amassamento, utiliza-se o peso corpo. Um cara senta com uma das pernas no tubo de bambu e vai pulando até amassar… Veja o vídeo aqui.

Além disso, outra especialidade é o camarão em essa massa frita. Fritura sequinha, crocante e feliz!

Este prato eu devo a milhares de horas da minha vida assistindo Anthony Bourdain. Pork bun. Para nós brazucas, não passa de um pão francês com carne de porco dentro, certo? Mas para quem gosta de entender culturas, esse é um exemplo demais entre fusão de duas culturas diferentes: chineses e portugueses se encontraram em Macau e dessa mistura entre conhecimentos culinários nasceram, entre muitos outros pratos, este pão com carne suína estilo chinês! Eu acho incrível. O Anthony Bourdain também eheheh.

É isso aí! Torçam para que possamos voltar em breve para atualizar esse post e descobrir coisas novas!

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2015 DIM SUM CAFÉ . Todos os direitos reservados.